domingo, 24 de maio de 2009

Café

3123936577_95af006b59_b

Como de costume, pedimos um café após o almoço. O garçom prontamente nos atendeu e informou que hoje o café é cortesia da casa. Por que?  Porque hoje é o dia mundial do café. Justamente domingo, o dia em que menos o bebo. De bom grado, aceitamos o agrado e aproveitamos o café forte ao meu gosto, com pouco açúcar.

Não se sabe ao certo a origem da utilização da fruta africana de forma torrada e moída. Existem registros de seu consumo in natura já no século VI da era cristã, e talvez tenha virado bebida no século XVI.

Durante o século XIX e princípio do século XX teve grande importância para a economia brasileira. Entrou no país pelo norte, chegando ao Vale do Paraíba e posteriormente ganhando força no oeste paulista. Sua produção trouxe também força política no jogo que ocorria entre as províncias, que posteriormenete viraram estados. Durante os anos de pujança do café em nossas terras o Brasil chegou a responder por setenta por cento da produção mundial.

Difícil achar hambientes de trabalho em que não haja café, geralmente pago pela empresa. O café acompanha o trabalho, e não é a toa. O gosto pela bebida acompanhou o processo de formação do mundo capitalista, com suas novas relações de produção. O café com açúcar é boa fonte de energia para quem precisa trabalhar horas a fio. Então o casamento bebida/trabalho é bem sucedido pela ótica da produtividade.

Já tentei me divorciar algumas vezes do café. A relação que temos acaba com minha saúde vocal, mas o vício é mais forte. Um dia devo pagar por meus hábitos de consumo exagerado da bebida.

Um comentário:

Tassi Poltronieri disse...

Tu e mais 73% da população, inclusive eu!!

Café é um vício danado... Danado de bom!!!