domingo, 24 de maio de 2009

João e Maria


Meninada, upload feito originalmente por Priscilla Buhr.

Nada de casa de feita de doces. Nada de crianças perdidas e finais felizes. Esta semana lemos Contos populares de Michele Simonsen, uma tentativa de contar as histórias seguindo a tradição oral que as passou de geração em geração. Independente dos questionamentos que podem ser feitos a essa idéia de "resgate", principalmente após as investidas literárias de Charles Perrault e dos irmãos Grimm para transformar em escrita estes contos, vale a leitura.

Então, João e Maria tinham pais avarentos, que cansados de alimentá-los, decidiram perder as crianças na floresta. Enganados, perdidos, avistam duas casas, uma vermelha e outra amarela. Decidiram procurar ajuda na casa vermelha. A dona (nada de bruxa) resolve acolhe-los, mas avisa que seu marido não gosta de crianças e que caso descubra a presença deles ela levará uma surra e os dois virarão janta. Claro, o marido descobre, a mulher leva sua surra, Maria vira escrava doméstica e João é preso na gaiola para engordar. Na primeira oportunidade João escapa, com a ajuda de Maria, degola a mulher que os recebera e ambos fogem, mas não sem carregar o dinheiro do casal. O homem os persegue e morre afogado em um rio. João e Maria, agora carregando o tesouro são recebidos por seus pais, satisfeitos com o dinheiro recebido. Moral da história, não importa o que seus pais façam, volte sempre para eles, respeitosamente e com dinheiro.

Entre tantos contos do livro, todos moralistas, escolhi este para fazer minha recomendação por uma razão, a proteção à criança e ao adolescente. Em muitos casos há unanimidade na consideração de maus tratos, mas em outros parece que as coisas ficam mais turvas. É o caso das crianças que trabalham em programas televisivos. O dinheiro e o estatus enevoam o julgamento sobre este tipo de trabalho infantil, mas esta semana tivemos decisão exemplar da justiça em sentido de proteger uma criança exposta a situação no mínimo constrangedora. A menina Maísa não poderá mais ser posta no programa "Pergunte a Maísa", no canal SBT. Acredito que todos já viram a cena pelo youtube, então não preciso comentá-la. Fica minha alegria pela decisão.

2 comentários:

Flor D'Alma disse...

Adorei o conto. Ele nasceu assim, e virou aquela historinha sem graça nas mãos dos Irmãos Grimm?
Minha irmã ouviu de uma professora de Direito que o trabalho de crianças em TV, como o caso de Maisa, são um trabalho como qualquer outro! Aff...
Onde esse mundo vai parar?

Flor D'Alma disse...

Viu que o MP entrou com ação civil pública contra o SBT, pedindo 1 milhão por danos morais coletivos, e que essa grana vá para o FAT? Estou adorando.